quinta-feira, 25 de junho de 2009

Michael Jackson morre em Los Angeles, EUA aos 50 anos

Foto: Divulgação

O cantor norte-americano morreu hoje em sua residência, as 18:26 de Brasília (14:26 no horário local) aós sofrer uma parada cardíaca, segundo informações do Centro Médico da Universidade da Califórnia (UCLA) para onde ele foi encaminhado já em coma profundo. Os paramédicos que chegaram ao local e encontraram Micheal já sem pulso e sem respiração. As causas da morte ainda continuam sendo investigadas. Muitas especulações ainda deverão aparecer ao longo das investigações, mas as reações ao redor do mundo após a notícia foram grandes. Micheal Jackson já teria marcado uma série de 50 shows no O2 Arena, em Londres para encerrar sua carreira, finalizada de forma prematura, na tarde de hoje. Ele tinha 50 anos.

O inicio do estrelato

Os Jackson Five em foto para divulgação

Micheal Joseph Jackson comecou sua carreira bem jovem, aos 5 anos. Mas a sua carreira profissional começou aos 11 anos com os seus irmãos formando os "The Jackson 5". O grupo iniciou uma excursão nos EUA e, após vencerem um concurso amador em Harlem, assinaram um contrato com uma gravadora local, a Steeltown. Após serem contratados pela Motown Records em março de 1969, o sucesso do grupo foi devastador. Venderam mais de 100 milhões de discos em todo o mundo. Aquele menino, o mais baixinho, mas que cantava de forma segura e afinada e com uma enorme habilidade para dançar, seria o que hoje é conhecido como o "Rei do Pop". Os quatro primeiros singles dos Jackson 5 chegaram ao topo das paradas americanas entre 1969 e 1970. São eles: "I Want You Back ", "ABC", "The Love You Save" e "I'll Be There". Foram 14 albuns gravados sob o contrato da Motown. Apesar de todo esse sucesso, o grupo sentia a falta de liberdade na gravadora tanto na produção como em suas composições, o que deixou o ambiente insustentável. Com excessão de Jermaine Jackson (que futuramente seria substituído por Randy Jackson), os quatro remanescentes quebraram o contrato com a Motown e foram para a Epic Records, gravadora pertencente ao grupo Columbia Broadcasting System (CBS) e mudaram o nome do grupo para "The Jacksons".

Os primeiros passos para a carreira-solo

Em 1975 já em sua nova casa profissional, a Epic Records, os integrantes do The Jacksons viram novas oportunidades surgirem já que, teriam liberdade de criação e uma parcela maior nos lucros dos albuns vendidos e shows. Com isso desenvolveram 6 albuns entre 1976 e 1984. Nesse intervalo, Jermaine Jackson gravou um album que seria lançado em 1984 intitulado "Victory" e que teria a participação de seu irmão Micheal Jackson e Mick Jagger, dos The Rolling Stones. Os The Jacksons encerraram suas atividades oficialmente em 1990, mas voltando um pouco mais no tempo, em 1979, Micheal parte para a carreira-solo em simultãneo com a sua carreira nos The Jacksons. O album "Off The Wall" é lançado pela Epic Records sob a direção e produção daquele que seria um dos maiores produtores de todos os tempos: Quincy Jones. E inicia-se um ciclo de grandes sucessos e grandes vendagens de albuns jamais superados até hoje.


O album "Off The Wall": primeiro album-solo de Micheal Jackson lançado pela Epic Records em 1979

O sucesso "Rock With You" estourou em todas as rádios americanas e se alastrou por todo o planeta. Se você assistir o video desta música vai até acreditar que é bem simples. Mas os efeitos utilizados com uma luz intensa ao fundo num ambiente escuro e a roupa brilhante desde as suas botas (na verdade, os ambientes escuros eram muito utilizados nos clipes daquela época em que a disco-music fervilhava nos bailes, para ressaltar as roupas brilhantes) ou o video de outro grande sucesso "Don´t Stop´Til You Get Enough" que utilizavam imagens de cristais como se estivessem num caleidoscópio (Efeito Cromaqui) eram modernos e caros demais para a época. Além de, claro, serem inovadores para os padrões televisivos da época. Isso já mostrava que o grande sucesso em que Micheal Jackson estava mergulhado lhe conduziria a grandes trabalhos tanto na musica como eu sua performance na TV. Isso ficou muito claro anos mais tarde, com o lançamento do album "Thriller" que é considerado até o hoje, o album mais vendido de todos os tempos.

O album "Thriller" de 1982, da Epic Records, considerado o album mais vendido de todos os tempos. Um grande trunfo de Micheal e Quincy Jones

Para que você tenha uma idéia do sucesso que foi Thriller, além dos videos que deram um novo conceito ao que hoje conhecemos como "Video Clip", este album deixou 7 músicas no topo das paradas. Poderíamos dizer assim: das dez musicas do album, sete estavam na mesma parada da mesma semana. O album atingiu um nível de excelência tamanha que já se especula que suas vendagens jamais serão ultrapassadas, até porque, com a crise que a indústria fonográfica mundial atravessa e com as mudanças tecnológicas, esse número, de mais de 100 milhões de cópias, não deve ser alcançado. O clipe homônimo é uma obra de arte. E de uma arte cinematográfica poderíamos dizer. John Landis foi genial ao entender e compreender perfeitamente as habilidades de Micheal onde o artista criou um novo estilo de dança, deixou sua marca registrada num passo batizado como "Moonwalker" e baseado no titulo da música, desenvolveu uma estória de terror que durou 15 minutos, imortalizados pela crítica e especialistas, eternizados pelos próprios fãs.


Em 1984 com o então, Presidente da Repúbilca dos Estados e a Primeira-Dama, Ronald Reagan e Nancy Reagan respectivamente, recebendo homenagem do governo.

Dois anos mais tarde, algumas canções perdidas de Micheal são encontradas.

O album "Farewell Summer Love" lançado pela Motown Records em 15 de Maio de 1984 é uma compilação de canções do Micheal Jackson gravadas entre 1973 e 1974 no auge dos Jackson 5. Na verdade, este álbum deveria ter sido lançado em 1974, mas como os próprios Jackson 5 tinham lançado o album "Dancing Machine" que estava em pleno sucesso, então, os produtores deixaram de lado o lançamento de "Farewell...". Este álbum foi composto de 9 canções, todas originalmente produzidas em 1973. Como as produções se modernizaram em 10 anos, a Motown preferiu fazer um releitura nos instrumentos, deixando o mesmo com um som mais "Anos 80" e com isso, o album chegou ao 46º lugar dos albuns mais vendidos nos EUA, segundo a Billboard e alcançou o 9º na Parada Britânica. Numa breve análise, este album teve um grande êxito, até porque, foi uma tremenda jogada de mestre da Motown, que já não tinha mais Micheal em seu cast, quando o perdeu para Epic Records. Ainda em 1984, Thriller alcançava grandes vendagens em todo o mundo.

Comercial para a Pepsi americana em 1982: Reflexo do grande sucesso

video

Bad: Mais um sucesso de vendas e muitas críticas


Em 1987, a Epic Records lançou o novo album de Micheal, intitulado "Bad" onde a música homônima foi conduzida as rádios para a promoção do mesmo. Apesar da excelente vendagem de 26 milhões de cópias, "Bad" não foi poupado de severas críticas pela falta de ousadia na construção de suas músicas. Micheal levou 3 anos para finalizá-lo e teve participações importantíssimas como Stevie Wonder que empresta seus vocais em "Just Good Friends" e Siedah Garrett que o acompanha em "I Just Can't Stop Loving You". "Bad" tem um total de 11 canções (nove de autoria de Micheal) e com elas alguns recordes: Estreou no topo das paradas em 25 países e foi durante muito tempo, o segundo disco mais vendido da história da música. As canções "Smooth Criminal" e "Leave Me Alone" foram produzidas para a TV e fizeram parte do musical "Moonwalker", um longa-metragem que foi exibido em 1988. Foi o último trabalho com o produtor norte-americano Quincy Jones que participou da vida profissional de Micheal Jackson durante 12 anos.

Dangerous: um novo desafio com um novo produtor

Em 1991 é lançado o album "Dangerous", marca mais um êxito da Epic Records e, também, o fim da parceria de 12 anos com o produtor Quincy Jones. Agora quem produziu este novo trabalho é Teddy Riley, mentor do estilo New-Jack-Swing e que deixou "Dangerous" como o album masculino mais vendido da década de 90. É tambem o primeiro trabalho distribuido como parte de um contrato-recorde de US$ 830 milhões firmado com a Sony Music, que na ocasião, incorporou a CBS Records e o selo Epic. O maior sucesso deste novo trabalho, "Black Or White" quebrou as barreiras tecnológicas utilizadas em videoclips. Os efeitos foram tão inovadores que grande parte deles passaram a ser introduzidos até no cinema. Foi um sucesso devastador e cada vez mais associava as grandes canções de Micheal á diferentes utilizações tecnológicas em seus trabalhos para a televisão e divulgação dos mesmos. "Dangerous" figura como o segundo album mais vendido da carreira do artista com um total de 32 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.

History: O ultimo grande sucesso do cantor

A carreira de Micheal Jackson estava indo bem. Até que em 1993, o cantor foi acusado de abusar sexualmente de um menor. Com isso, as vendas de seus albuns começaram a despencar e a imagem do cantor ia se deteriorando a cada vez em que era mencionado o escândalo. A última cartada de sua gravadora, a Epic era fazer uma compilação de seus grandes sucessos para que houvesse uma recuperação de sua imagem e vendas. Então, foi lançado em 1995 a coletânea "History - Past, Present and Future" dividido em duas partes. Na primeira parte conhecida como "Begin" foram selecionados 15 sucessos que passaram por tratamento de remasterização digital. Na segunda parte conhecida como "Continues", uma seleção de novas canções. Este album foi indicado ao Prêmio Grammy, o Oscar da música, com 6 indicações. O custo da produção e promoção do album alcançou a marca de 30 milhões de dólares. O destaque vai para a canção "Earth Song" que, em alguns países da Europa foi considerada a música de maior sucesso do artista. No videoclipe desta canção foi inserido a floresta amazônica, na região do Brasil.

Os números, os recordes

Estes são os números impressionantes da carreira do maior astro pop de todos os tempos:

Rock and Roll Hall Of Fame: Micheal Jackson é o unico artista que entrou duas vezes no Hall da Fama do Rock.

O album "Thriller" de 1982: Considerado o album de maior vendagem de todos os tempos.

Prêmios Grammy: Michael recebeu com os Jackson Five o Prêmio Grammy seis vezes. Na carreira-solo foram mais 19 Prêmios Grammy.

Topo das Paradas: O único artista que conseguiu emplacara 41 músicas no primeiro lugar em todo o mundo.

Vendas de discos: Estima-se que Michael Jackson já vendeu 750 milhões de cópias em todo o mundo. Alguns empresários da Sony Music já somam o total de 1 bilhão de cópias.

Sucesso através dos tempos: Os sucessos que Micheal Jackson obteve em sua carreira já atravessam 4 décadas seguidas.

Fama: Nos ultimos anos, Michael foi reconhecido como a personalidade mais famosa do mundo.


A repercussão de sua morte

Vários artistas de diferentes gêneros musicais manifestaram a perda do artista. Alguns deles:


"Lamento que um talento tão grande, tão incrível vá embora tão cedo - um talento que proporcionou grandes momentos. Vou sentir saudade do rei do pop."

Gilberto Gil
Cantor e Compositor




"Sinto como um parente muito próximo tivesse nos deixado, mas sinto também a força de um espírito de ensinamentos contínuo para o homem. Michael nunca foi bad porque as coisas de Deus são do bem."

Carlinhos Brown
Músico, Cantor e Compositor




"Uma perda lamentável, era uma figura de conhecimento mundial e não é a toa o sucesso. Ele é uma figura diferente, embora tenha sua controversia, ele sempre atraiu multidões pela sua arte peculiar. A arte dele supria todo e qualquer escândalo. Quem viveu e acompanhou essa história do Michael Jackson vai ficar muito sentido."

Simbá
Músico, Cantor e Compositor, membro dos "Demônios da Garôa"

"Estou bastante triste com a notícia, pois ele me influenciou diretamente no aprendizado do que é a música pop. Ele criou uma forma de se cantar R&B que é copiada por todos os cantores pops americanos e tem referência no mundo todo."

Rick Bonadio
Produtor Musical, trabalhou com a saudosa banda de rock, Mamonas Assassinas


"Eu não consigo parar de chorar pelas más notícias. Eu sempre admirei Michael Jackson. O mundo perdeu um de seus melhores (artistas), mas sua música vai viver para sempre! "

Madonna
Cantora, compositora e produtora musical.




"Eu estou tão triste e confusa com todas as emoções possíveis. Estou com o coração partido por seus filhos, que eu sei que eram tudo para ele, e por sua família. Esta é uma perda tão grande em tantos níveis que me faltam palavras."

Lisa Marie Presley
Filha de Elvis Presley e ex-mulher do cantor.



"Estou totalmente devastado por esta trágica e inesperada notícia"

Quincy Jones
Produtor Musical. Provavelmente o grande responsável pelo monumental sucesso de Micheal Jackson, produzindo o album de maior êxito comercial da história da música: Thriller, de 1982.





"Eu não consigo achar as palavras para expressar o quanto estou triste por Micheal estar partindo. Nós perdemos um gênio e um verdadeiro embaixador, não só da música pop, mas de toda a música. "

Justin Timberlake
Cantor e compositor.





O Rei do Pop foi um tipo de Elvis ao contrário. Podemos compara-los pois ambos fizeram uma fusão entre a música branca e música negra e o que cada um representou : Elvis era um branco com tendências
negras e quis ser o Michael o seu inverso
.”

Jean Michel Jarre
Mago dos Teclados, compositor e produtor francês.





O Legado


O maior legado que Micheal Jackson deixou ao mundo é da sua contribuição inestimável á música, á dança e a arte de suas composições, que se tornaram eternas e com aprovação ímpar de seus fãs, críticos de música e profissionais relacionados com o seu trabalho. Os grandes artistas não morrem. Suas presenças se tornam permanentes através de seus trabalhos que, inicialmente, foram sementes do sucesso que tornou-se atemporal. E sua música continua.... Obrigado Micheal!